Política de A–Z II

Política de A–Z II

14/12/2018 0 Por Redação

A mesa diretora da Câmara Municipal de Marabá, para o biênio 2019–2020, foi eleita na última quarta-feira (12). Na ocasião, os 21 vereadores votaram favoráveis à chapa única constituída pelo vereador Pedro Corrêa Lima (PTB), presidente; Ilker Moraes Ferreira (PHS), 1º vice-presidente; Irismar Araújo Melo (PR), 2ª vice-presidente; Cristina Mutran (MDB), 1ª secretária; Alécio Stringari (PSB), 2º secretário e Ivanildo Bandeira Athie – Ray Athie (PCdoB), 3º secretário.

Reviravolta

A reeleição de Pedrinho, como é popularmente conhecido o legislador municipal, só foi possível devido à mudança no inciso I do art. 101 da Lei Orgânica Municipal, cuja revisão foi aprovada no último dia 27 de novembro, após mais de dois anos de trabalho da Comissão Especial.

LOA

Aprovada após a eleição da mesa, a Lei Orçamentária Anual foi discutida em audiência pública em que a Câmara Municipal expôs a peça orçamentária e ouviu de representantes da sociedade elogios, críticas e sugestões de emendas. Os números foram detalhados pelo secretário municipal de Planejamento e Gestão, Karam El Hajjar.

Vice-prefeito

Pedro Corrêa, na prática, assume as atribuições do cargo de vice-prefeito, em razão da saída do delegado Antônio Carlos Cunha Sá, atual vice-chefe do Executivo de Marabá. Ele foi eleito em outubro deputado estadual, tendo obtido 33.498 mil votos (0,83%).

Posse tripla

O governador eleito do Pará, Helder Barbalho (MDB), será empossado simbolicamente em Marabá e Santarém. As duas cidades seriam, com a divisão do estado no plebiscito de 2011, as capitais de Carajás e Tapajós, respectivamente.

Histórico

As três posses de Helder serão um feito histórico e inédito no estado. Com isso, o governador eleito já dá mostras de como será seu governo, fazendo jus ao slogan “Helder Presente”, que afinal pegou.

Diplomação

A diplomação do governador eleito e de seu vice, Lúcio Vale (PR), será na próxima terça (18), no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) marcou a cerimônia para as 18h.

Jacundá

Em Jacundá, os vereadores puseram fim a uma sequência de dez anos à frente do Legislativo
Municipal de Lindomar dos Reis Marinho (PT).

Tentou

Lindomar Marinho tentou a reeleição para o 6º mandato, mas acabou retirando sua chapa da disputa na última hora. Concorriam com ele, na chapa 1, as vereadoras Neusilene de Souza Costa (PR), 1ª secretária, e Mariza Alves da Silva (PDT), 2ª secretária.

Novo presidente

Eleito por 7 votos a 6, Clayton Guimarães (PR) é o novo presidente da Câmara Municipal de Jacundá.

Mesa

Com ele, comporão a mesa diretora da Casa os vereadores Maria Marta Souza Costa (PT), 1ª secretária, e Welismar Mulato de Souza (PDT), 2ª secretária.

Investigada

A vereadora Maria Marta Souza Costa foi alvo, em agosto do corrente ano, de um mandado de busca e apreensão cumprido na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (Sematur) do município.

Operação Epístola

Denominada “Epístola”, a operação investiga a nomeação indevida de funcionários públicos na secretaria, por influência da então secretária de Meio Ambiente e Turismo, Necy Veiga, e da vereadora supracitada.

Nepotismo

As duas são acusadas pelo Ministério Público do Pará (MPPA) de prática de nepotismo, depois de terem utilizado da influência do cargo que ocupavam para nomear diversos parentes, incluindo filhos, irmãos, irmãs, primos e até cunhados.

Impugnação

Já em Belém, o escritório Mendes & Mendes protocolou renúncia coletiva dos advogados do procurador de Justiça Nelson Medrado, no mandado de segurança nº 0809198-37.2018.8.14.0000, que tenta anular as eleições para procurador-geral de Justiça do Pará.

Eleição

O atual procurador-geral de Justiça, Gilberto Valente Martins, ficou em primeiro lugar na lista tríplice, com 274 votos, seguido pelo promotor de justiça José Maria Costa Lima Jr., com 250 votos, e pela procuradora Cândida Nascimento, com 230 votos.

Caso Avianca

O juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi deferiu ontem o processamento do pedido de recuperação judicial encaminhado na segunda pela Avianca Brasil, quarta maior companhia aérea do país. Com isso, suas operações estão mantidas.

Acabou a agonia

Em nota, a empresa disse que, “com o deferimento, suas operações e passageiros seguem preservados”. Ufa!

Cirurgia

A data da cirurgia do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para a retirada da bolsa de colostomia ainda não foi marcada.

Bolsonaro em Davos

Jair Bolsonaro deve participar do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, entre os dias 22 e 25 de janeiro, já como presidente do Brasil.

Médico garante

Em entrevista à agência Reuters, o médico Leandro Echenique disse que a cirurgia será depois de Davos. “(…) não dá para dizer se no fim de janeiro ou início de fevereiro”. “Vamos reavaliar após o Fórum de Davos e vamos definir a data certa”, disse Echenique à Reuters.

Cesare Battisti

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou ontem a prisão de Cesare Battisti para que ele possa ser extraditado para a Itália.

Criminoso protegido

O italiano foi condenado por quatro homicídios na Itália na década de 1970. Em 2007, a Itália pediu a extradição dele e, no fim de 2009, o STF julgou o pedido procedente, mas deixou a palavra final ao presidente da República. Na época, o então presidente Lula negou a extradição em seu último dia de mandato.

Ao leitor

A coluna será publicada simultaneamente, a partir desta sexta (14), no site Debate Carajás.

Estudante e estagiário no Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). E-mail: vinicius@carajas.info.